Primeiro beijo.

"Meu primeiro beijo foi doce a atrapalhado. Meu primeiro beijo foi mágico, mas rápido." The Happy Losers.


A rua estava movimentada, várias crianças corriam desembestadas com balões coloridos. Era aniversário de sua irmã do meio e os pais resolveram comemorar chamando toda a vizinhança e parentes. Ela, por sua vez, havia pintado os olhos e usava um vestidinho preto recém-adquirido na última andança de sua tia à Goiânia. Todas as outras meninas entraram na onda e usavam a maquiagem de sua mãe, não passavam de 12 anos, bem meninas. A preocupação de sua mãe com os convidados deixou-a tranqüila quanto seu plano, planejara sair assim que as pessoas começassem a cantar parabéns. Imaginava que não daria falta de sua presença. E assim fez.

Ela saiu no tumultuoso quintal e dirigiu-se a saída, ouvia de longe o seu assovio. Ele sempre a chamava dessa forma. Quando ela o viu seus olhos encheram-se, lágrimas doces de excitação, felicidade, um misto que ela não compreendia. Naquele dia descobriu o significado de borboletas dentro do estômago, estava nervosa. Havia dito que precisava falar com ele, decidiu que não passaria daquela noite. Ele tímido sabia do sentimento que a menina nutria por ele, mas nunca dissera a ela que era recíproco, ela sabia através de terceiros, amigos, amigas.

Ela aproximando-se do rapaz disse: - Que bom que você veio. – E as palavras eram falhas, parecia que seu coração estava à mostra. Havia, tinha certeza, dentro dela uma escola de samba inteira. Ele riu, pegou em seus cabelos e timidamente disse: – Está linda, pequena. E eu tão desarrumado. E ele usava um jeans escuro, com uma camiseta branca estampada, seu cabelo meio molhado e o cheiro doce. Ela adorava.

Ela sabendo que a conversa não renderia mais que isso se ela não tomasse atitude disse: – Muito obrigada. E vamos ao que interessa, eu gosto de você, sou apaixonada por você e queria saber se você quer namorar comigo – A menina despejara um quilo de palavras, meio gagas devido ao nervosismo e ao final da frase suspirou, cansada. Ele olhou-a atônito e disse: – Sim. Eu quero.

E ficaram se olhando por alguns minutos. Ela impaciente como sempre indagou: – Você não vai me beijar? Ele sorriu envergonhado e deram ali o segundo-primeiro beijo de suas vidas. É, o primeiro será narrado outro dia.

Compar:

12 comentários

  1. Hahahaha. Quase morri de rir, que menina corajosa. Acho que você devia lembrar dessa época e fazer o mesmo hoje. Chega junto e pede em namoro, escancara.
    Queria que alguém tivesse pedido meu primeiro beijo, o meu foi em uma prima durante as férias de fim de ano, foi rápido, mas inesquecível.

    Beijo boneca.

    ResponderExcluir
  2. Faltou dizer que teve gente vigiando nossos pais no portão. Hilário.

    ResponderExcluir
  3. Que isso ein, essa menina bem pra frente cê não acha ? rs


    mas adorei a parte do: ' você não vai me beijar?'
    que atitude.

    nossa postagem coletiva vai ficar mara . bjs

    ResponderExcluir
  4. HAHAHA!
    Morri com teu comentário Sarah. Nem era pra frente, mas demorou tanto pra esse sair. A gente se gostava, mas ninguém tinha coragem de falar. Então eu resolvi tomar as rédeas. E olha que deu certo.
    Mas naquela época eu era beeeeeem corajosa. Acho que quando a gente vai envelhecendo fica com medo das coisas, rs.

    Pra frente foi ótimo, haha.

    ResponderExcluir
  5. Essa guria parece comigo. Sempre fui de chegar e falar... com ela deu certo, ótimo. kkkk
    Cena bonita, essa.

    Beijo, Pâm.

    Ps. vou participar \o/

    ResponderExcluir
  6. Que coragem a dela, ein!
    Uau. adorei :)

    Já postei a minha, também.
    Beijin, bonita.

    ResponderExcluir
  7. Bem decidida ela... parece até eu, quando tenho meus surtos de "cara-de-pau" =P


    --
    Dessa vez postei um texto também.

    ResponderExcluir
  8. hahaha...que bonitinha a moçinha 'pra frente"! :D

    lindo texto, perfeita!
    ;*

    ResponderExcluir
  9. Essa coragem me lembrou a minha.
    Não pedi para namorá-lo (eu morria de medo dele recusar), mas disse que gostava muito dele, é incrível como depois de um tempo a gente sorri e ri lembrando de todo aquele nosso nervosismo.

    Linda narrativa

    ;)

    ResponderExcluir
  10. Que perfeito *-*
    Eu também escrevi o meu,vou colocar o link do seu lá,ok?
    Beijos,
    ;**

    ResponderExcluir
  11. Que delícia de texto...consegui visualizar cada balão colorido e sentir cada pulsar do coração.

    Lindo, lindo demais!

    Flor, pois que bom que você já chegou sendo abraçada! Seja sempre sempre bem vinda, viu?

    Beijo grande e um Natal bem colorido pra ti, igualzinho aos balões das crianças que corriam. ;)

    ResponderExcluir
  12. Essa sim é uma menina de atitude! Medo dela. Atacou o pobrezinho. hahaha

    Charlie B.

    ResponderExcluir