Eu.

Desabafo.

11:39



Abandonei um pouco a essência de escrever sobre o amor. Um amigo disse: "o amor é para os fracos." Não concordei no exato momento, mas ando tão cética que essa frase tornou-se bordão para mim e se dirigisse um caminhão estaria no parachoque. Eu estou cansada de levar porrada na "boca do estômago" do amor, ando sem saco para toda essa pieguice que eu sempre gostei. E não sei se é só uma fase, a primeira vez que parei de escrever foi por causa de dor e quando voltei foi por um amor platônico que me rendeu vários textos e uma amizade infinita hoje, só que isso cansa. Amar, amar em palavras e não receber bosta nenhuma em troca. Ando não fazendo jus ao meu apelido de Mel e nem me importo. Não importo em ser antipática, seca e afins. E não me importo mesmo que falem sobre isso.

Cansei de amar sozinha todo o mundo.

Eu continuo escrevendo, ou melhor, ando compondo algumas canções Àquele que é Único na minha vida. É, uma surpresa para quem sabia que eu era apenas uma pretensa escritora, eu também sou uma pretensa musicista. Sim, porque hoje eu só estudo música. Uma das minhas maiores paixões. E acho que somente ela consegue preencher o vazio e estancar o sangramento que há dentro de mim por ora.

O post é desabafo mesmo.
Só quero gritar por mundo ouvir: QUERO QUE O AMOR SE EXPLODA LONGE DE MIM.

novo amor

Mil cores.

16:16

Eu não compreendo como vem sendo fácil transcrever, ou melhor, traduzir o que meu coração anda sentindo ultimamente. É suave. E tento não ir com tanta sede ao pote, por isso tenho me resguardado a transpôr em linhas o sentimento, porque tenho aquele medo leve de embonitar demais as coisas, entende?

Mas, nesse emaranhado de sensações, eu percebi que a água já cobre a minha cabeça, afoguei-me no sentimento e juro que não há como voltar. Tu não compreendes ainda o efeito letárgico que me causa com esse teus olhos de mil cores que sorriem para mim, tu não sabes que a tua voz me é convidativa. Sim, a mergulhar dentro de ti.

E tu não sabes, não sabes e não sabes.
Ainda.

Porque a qualquer momento estará tão visível na minha testa, quanto um letreiro nova-iorquino e mesmo que eu tente disfarçar não haverá escapatória. É que tu me vens assim, de mansinho, às 10h, ao meio-dia, às 17h e essa incerteza de horários, essa inconstância me dá um angústia. Em meu pensamento sempre há aquela interrogação: ele virá hoje? Daí tu, com a tua maestria, me vem sorrindo alegre e desconcertante.

Eu, sinceramente, queria fazer diferente dessa vez. Ser mais fria e calculista, pisar com calma no terreno arenoso, mas eu não estou conseguindo. Percebeste? É. O teu sorriso parece que já me conhece.

Tá vou parar de escrever. Ando embonitando demais e já estou ficando é boba.


Dedos inertes por um bom tempo de agora em diante ;)

novo amor

Não dá pra disfarçar.

08:25

"Gosto de ficar te olhando, passo o tempo imaginando teu modo de amar.
Toda vez que eu te vejo, eu te quero e te desejo não dá pra disfarçar..."
Araketu












Okay. A minha playlist anda se modificando aos poucos desde que você veio morar em mim, mas dizem que quando começamos a enxergar o amor nas pessoas olhamos tudo de um ângulo diferente. É estranho saber que você consegue, sem querer-e-saber, dominar os meus sentimentos. E tudo isso que estou sentindo é tão novo e intenso que por vezes eu penso: pisa no freio, Mel. Mas eu não estou conseguindo, saca? É que os teus olhos me convidam a navegar em você, quando tu vens todo de mansinho com teu sorriso largo me perguntar sobre a vida. Eu me derreto.



Vou ouvindo esses pagodes da vida e os meus amigos cult's dizendo: Mel, onde está a bossa nova? Eu sinceramente não sei o que responder. Acho que a bossa nova é isso que estamos vivendo agora, essa doce-vida de comercial de margarina que vou criando aqui dentro da cabeça. Do coração. É que tu me provocas sensações inimagináveis, indescritíveis eu diria e apesar de gostar muito de tudo isso, estou começando a ficar com medo. Medo esse que se esvai quando tu vens e me chama Mel. O coração acelera e eu fico sem ar, meio tonta e eu sei que tu sabes o por quê.



Eu precisava somente expressar um pouco em palavras o que anda arrebentando todas as portas e janelas existentes dentro de mim. Precisava apenas pôr um pouco desse sentimento pra fora. Ando amando a tua presença na minha vida.

novo amor

Sereno

20:44

O segredo é não 'embonitar', bonito. E o meu coração repete diversas vezes cá dentro: - calma, não tenha pressa. E eu venho lutando com força para não colocar os carros na frente dos bois, é porque você ainda não sabe, mas eu sou muito impulsiva. Sinto tudo com muita intensidade e com vontade. E isso é sem demora, entende? Eu quero o agora, eu sonho muito com o amanhã e acho que isso pode até ser um defeito meu como ser humano, mas uma qualidade como poetisa que insisto em ser.

A cada dia que passa os teus olhos me convidam a adentrar o teu coração. E tu não sabes como me dá medo toda essa vontade de ser, estar e ficar com você. É que tu não compreendes ainda o quanto consegues deixar-me desnorteada com esses teus olhos cor de mel, que insistem em esverdear vezenquando, que insistem em me afogar a cada instante. E eu vou devaneando aqui como será o amanhã quando eu vir o teu sorriso largo e teus olhos rasos de encontro aos meus. É que, talvez, não tenhas percebido o quão nervosa me deixas com as tuas tentações voltadas para mim, a minha falta de jeito quando tu vens puxar conversa.

Tu não sabes.

E eu vou me perdendo em você, mesmo em meio aos hardwares e softwares da vida e até mesmo nessas equações e combinações que insistem me atormentar. É que tu me vens tão intensamente, principalmente nas aulas de trigonometria e fico tentando somar sempre a gente, multiplicar, entende? É que eu não imaginava que esse sentimento tão adormecido pelos anos, fosse reacender logo agora, anos depois. Eu te quero, doce. Como a lua anseia banhar-se no mar em uma noite quieta e tranquila. Sereno. É assim que eu te quero. Com toda essa tua diversão, com os teus defeitos e com as tuas vontade.

E que eu seja vontade - vontade tua, e que tu sejas para mim a doçura que necessitava para adoçar os meus dias. Quero-te quieto, manso, presente e envolto em meus braços.

Eu.

Novos livros.

10:08

Comprei alguns livros com um casal de amigos que está de mudanças para Londres. A minha nova aquisição me deixou tão satisfeita que nem dormi direito pensando em como arrumaria as minhas novas preciosidades, estou pensando em fazer um nicho em meu quarto para poder economizar espaço e dar uma aparência mais moderna. Bom, mas não é sobre isso que quero falar. É que no meio de todos esses livros, aguardava ansiosa por um entitulado como: Você já pensou em escrever um livro? Quando eu estava navegando pela página que eles fizeram para dispor dos seus livros, aquele título estava piscando em luzes de neon para mim.


Hoje comecei a ler e estou me encantando e a primeira coisa que eu pude notar é que eu realmente não tenho muito cuidado com o que eu escrevo, apesar de expressar diversas vezes o amor que sinto ao escrever, percebi que sou muito relapsa em alguns quesitos. Não tenho toda aquela atenção ao escrever, justamente por sempre escrever em momentos bem rápidos e na maioria das vezes sem tempo. Eu não sei de que forma eu vou melhorar isso, mas pretendo dar uma atenção especial aos meus escritos. Afinal, eu pretendo algum dia ser uma escritora. E não apenas isso, quero ter o prazer de me deliciar com os meus leitores folheando meus livros, com os comentários e tudo mais.


Eu comecei a ler agora e pretendo no decorrer da leitura ir escrevendo aqui as minhas percepções e quem sabe assim animar vocês a escreverem também. Porque eu, sinceramente, acho um desperdício não publicarmos nossos livros. Há tanta coisa boa por aqui, que não pode somente ficar empoeirado por aí. Se perder no espaço cibernético.


Ah, para quem ficou curioso em saber os livros que adquiri são os seguintes:


Marketing de Guerra - Al Ries, Jack Trout.
Marketing para o Século XXI - Kotler.
Princípios de Marketing - Kotler e Gary Armstrong.
Marketing Business to Business. É fazer ou morrer - Tavares e Olivieri.
O Deus (in)visível - Philip Yancey.
O amor nos tempos de cólera - Biel García Márquez.
Fallen - Lauren Kate.
Pode beijar a noiva - Patricia Cabot.

Pequeno livro de Estilo do Snoppy.
1001 livros para ler antes de morrer - Robert Dimery.
Você já pensou em escrever um livro - Sonia Belloto.
Regra para revolucionários - Guy Kawasaki.
E uma coleção com 5 livros da gazeta: Gestão de Capital Humano, Gestão Empresarial, Economia Empresarial, Finanças Empresarias e o último Marketing.




E gostaria de agradecer ao Ralph e a Célia pelo livros que ganhei de presente ;)


"As palavras tem podem ferir ou curar. E o poder da cura é o seu aspecto mais poderoso."
Sônia Belloto.

@eupamelamarques

FANPAGE

DIREITOS AUTORAIS

Todos os textos publicados aqui neste blog são de minha autoria ou de autores convidados. As fotos e gifs foram retiradas de sites como Pinterest e Tumblr, sendo assim, para de fim direitos autorais, declaro que as imagens NÃO pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente comigo por meio do e-mail: adm.pamelamarques@gmail.com. Eu darei os devidos os devidos créditos.