Valia a pena - Parte I.

08:13

Tão estranho era aquele sujeito. Parecia até que vivia em um mundo diferente, um lugar inacessível a outras pessoas. Não conversava com ninguém, evitava ao máximo contato com as pessoas que o cercavam. Na escola era calado, ficava em seu ‘mundinho’, parecia não se importar com os colegas.

O rapaz cresceu e passou em 1º lugar no vestibular da Universidade de Brasília. Para ele isso não era grande coisa, já que ele mesmo dizia ter estudado tanto tempo para isso. Todos o achavam estranho, afinal estavam no 4º semestre de psicologia e nada de aproximações. Nada de trabalho em grupo, era fechado mesmo. A vida fora da universidade não era muito diferente ele se limitava apenas a dizer ‘oi’ e ‘tchau’.

Traumas na infância? Talvez, mas como saber se ele não falava com ninguém? Tímido não era, tinha uma facilidade imensa em se expressar quando necessário. Um amor talvez seria o ideal para livrá-lo da solidão, mas como encontrar alguém sem sair de casa?

Mas todos nós estamos predestinados a encontrar alguém, ele também teria uma paixão a sua espera.

Certa noite chegou em casa depois de horas na biblioteca lendo mangás, isso mesmo, mangás. O rapaz não era tão velho, ainda era moço, tinha apenas 19 anos. Olhou para o computador e decidiu ligá-lo. Abriu seu e-mail e viu que recebera uma mensagem que dizia o seguinte:

“Sempre quis me aproximar de você, mas tinha receio. Então resolvi mandar-lhe esse e-mail, se quiser conversar comigo estarei no icq. Meu uin é ‘xxxxxxx’.”

Pensou quem seria essa moça que por ele havia se interessado. Ninguém em mente. Fechou o e-mail e desligou o computador, porém, aquilo não o deixava dormir. Pela primeira vez alguma coisa o perturbava, então depois de muito relutar decidiu ligar novamente o computador. Não tinha icq, pois não tinha amigos e usava o e-mail somente para saber as novidades de seus mangás, filmes e livros preferidos. Entrou na página do icq e fez uma identidade para ele, pegou o número da moça e a adicionou. Ela não estava on-line, esperou por mais algumas minutos, horas talvez e desligou. Do outro lado da cidade lá estava ela em modo invisível se lamentando por não ter falado com o rapaz que tanto lhe despertava desejos e até mesmo compaixão. Escreveu a ele off-line:

“Mas uma vez meu medo me impediu de chegar até você.
Não entendo o porquê de não ter me aproximado, já que você se mostrou interessado em saber quem sou.
Sinto muito”


No outro dia ele leu e ficou pensando se deveria ou não responder. Alimentar esperanças não fazia sentido, afinal não a conhecia e tinha dúvidas se queria ou não saber realmente quem ela era. Mas ele precisava acabar com aquela incerteza que o estava incomodando há dias. Respondeu então e para sua surpresa esta respondeu saindo do modo invisível.

Conversaram por horas e aquela moça, pela primeira vez em sua vida, despertou algo que estava adormecido: uma paixão. Foram meses teclando, ele já sabia todas as manias e gostos da moça. Estava até mais solto, mais alegre. Sabia que ela estudava na mesma universidade, mas nunca falaram em se conhecer, talvez perdesse o encanto depois disso. Ele pensava que se ela o conhecesse realmente não iria querer continuar a teclar com ele, levando assim a única coisa boa que ele conquistou em seus 19 anos de vida.

Escrito aos 16 anos.
Continua.

Ps: Post da Fê para mim. Leiam. Amo-te, gata!

Você também pode gostar

10 comentários

  1. Nossaaaaaaaaaaaa, ele é um solitário, mesmo. Nunca imaginei alguém assim.. :s

    Espero a continuação pra ver no que dá, esses dois hunf

    ResponderExcluir
  2. O princípio de uma paixão muda tanto a gente. Faz um rebuliço dentro de nós, quase uma festa. E assusta a ideia de tudo poder acabar em instantes. Natural que ele tivesse esse receio.

    Quero a continuação, hihi.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  3. Terei que voltar.
    Gostei bastante, aguardando a continuação.
    Já conheci pessoas assim.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Talvez fosse melhor continuar amando e sonhando um encontro do que encontrar e talvez perder toda a magia que crescia dia a dia em cima daquele sonho..

    ResponderExcluir
  5. Ih, Francisco.
    Tem blog não?
    Pode acompanhar. Só 2 capítulos =D

    ResponderExcluir
  6. Mtolindo o texto, desde dos 16 anos já demonstra um potencial. Aguardo ansioso pela continuação.

    =D

    ResponderExcluir
  7. Omg, aguardo ansiosamente pela continuação. Você não tem noção de como foi leve ler esse texto, muito bom! Adorei (:
    Obrigada pela visita no blog e espero que o amor deles dê certo!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Anciosa pela continuação...rs
    Ameii

    ResponderExcluir

FANPAGE

@igpamelamarques


DIREITOS AUTORAIS

Todos os textos publicados aqui neste blog são de minha autoria ou de autores convidados. As fotos e gifs foram retiradas de sites como Pinterest e Tumblr, sendo assim, para de fim direitos autorais, declaro que as imagens NÃO pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente comigo por meio do e-mail: adm.pamelamarques@gmail.com. Eu darei os devidos os devidos créditos.