Querido A,

Eu queria te dizer que eu sinto muito por tudo. Acredito que tenha eu destruído tudo, infelizmente. Burrice a minha – novidade. Sabe doce eu queria só esclarecer as coisas o que construiu, talvez, uma barreira entre nós. Não sei, mas está tudo tão estranho. Perdoa-me. Quando eu fiquei aqueles dias sem falar contigo não era porque eu não te queria em minha vida mais era porque eu precisava te dar espaço para você respirar, porque por vezes eu me acho tão sufocante para ti. Porque eu te acho bom demais para mim e quis não ficar sonhando contigo. Você é tão homem, diferente dos demais, tens as tuas convicções e teus pensamentos que me mostram o quão menina eu ainda sou. E a minha idade cada vez é diminuída quando eu falo contigo e isso me envergonha por vezes, me intimida.

Quando eu te disse que a gente só perdia o que a gente tinha então eu não me importava muito com isso eu menti. Menti para ti, menti para mim e para todos os sentimentos que estão dentro de mim. Dói-me. Eu quis te mostrar que eu sou forte quando na verdade eu sou mais fraca que tudo, eu te sonho tanto, mesmo você sendo inatingível. Queria me desculpar por toda minha criancice que te irrita, que te irritou, que te provoca. Culpa minha todas as tuas reações, eu sei. E fico cá eu lamentando, chorando por palavras que vieram de ti, mas que na verdade foram provocadas por mim. Pura reação. Desculpe por me colocar sempre no lugar da vítima, mas tentei dormir ali desde que cheguei do trabalho e me foi impossível e acredito que o resto da noite será insone. Porque tu não tens mais paciência para mim. Perdoa.

Eu queria poder pegar uma borracha e apagar o mês anterior e esse início, mas não posso. Infelizmente. Então, eu não sei mais o que dizer. Eu tentei falar contigo há pouco no MSN, mas você me ignorou ou não estava perto, não sei. Não me doeu. Porque você tem razão em não querer falar comigo. Sou bem babaca e tu sabes. Eu só queria dizer, que se tu quiseres mesmo, eu vou embora. Se é isso que deseja mesmo eu me retiro e vai ser como se tu nunca tivesse me conhecido. Vai ser assim mesmo. Porque foi e vai ser sempre assim. Tu és bem mais do que eu mereço e isso é fato. E sem dramas eu descobri isso, por isso não há com o que lutar, apenas com o que se conformar. Perdoa-me as irritações, a paranóia e os muitos desatinos e obrigada pelos risos, conselhos e por passar tantas tardes e noites comigo. Acho que é isso.
Com respeito P.

Tags:

Compar:

19 comentários

  1. Pam, acredito eu que as pessoas que permitem que seus sentimentos sejam externados são grandiosas. Imensas. Gigantescas. Então não há alguém aqui que seja menos ou mais merecedor de outro alguém. Porque você está no mesmo patamar, mesmo com todas as atitudes que você pede perdão... elas são perdoadas sempre, quando existe amor. E existe amor. Fiquem bem.

    ResponderExcluir
  2. Eu queria dizer que o tempo poderia voltar facilmente.
    Mas o tempo não volta.
    Eu queria falar que o futuro não traz medo.
    Mas não sou vidente.
    O que resta é aguentar o peso desse presente que ninguém desembrulha.

    Deixa o amor voltar.

    Um beijo, Pâmela!

    ResponderExcluir
  3. Pâmela!

    Eu quem fiquei encantada, literalmente, por aqui! Tuas palavras vieram flutuando até mim, e ficaram. E feito tatuagem, não vão largar. Esse seu último texto foi como se tivesse desenhado toda a cena em minha mente, algo como experiência própria, sabe? "Não posso perder aquilo que jamais tive" - Foram palavras que usei uma vez, e que as encontrei por aqui. Arrepiei, por inteira.

    Mas, tem uma frase que diz assim: O que é seu, encontrará um caminho para chegar até você. - E repito pra mim todos os dias.

    Você foi linda, flor. Sincera.

    Como disseram aí em cima, deixa o amor voltar. Ele sempre volta, sempre.

    Um beijo, mais doce ainda!

    ResponderExcluir
  4. Mais uma vez, lendo tuas palavras, me encontrei na narrativa. Você parece que tem esse poder, o de agregar pessoas com o mesmo propósito: Sorver daqui cada palavra, recheadas de sabedoria.
    Ler você é um deleite! Uma maravilha!
    Foi muito bom terminar minha noite de insônia por aqui. São nessas horas que ela vale a pena. Pois, dormindo, eu poderia sonhar as coisas mais insípidas. Aqui, não. Aqui leio palavras que me arrancam suspiros.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Por vezes me vejo no texto... mas fico me questionando se a culpa foi toda sua...

    ResponderExcluir
  6. a reflexão sobre os nossos actos é sempre uma forma de aprender com aquilo que fizemos de errado.

    ResponderExcluir
  7. Bem, desentendimentos sempre acontecem. Amor é simples, mas a gente complica demais e dá em coisas desse tipo... gente que se gosta, mas acaba se desentendendo.

    Tenha calma, faça o que o coração manda e arrisca. Por que depois, mesmo que não fiquem juntos ou amigos, vai saber que ao menos valeu a pena tentar.

    Tenta, Pâm...

    Beijo, doce!

    ResponderExcluir
  8. Eu sim, acho a tua escrita um espanto! Porque você faz o leitor mergulhar no texto.
    E escreve sobre o cotidiano, uma realidade que é o mais comum dos dias comuns, sabe, Pâmela.

    É assim que avalio tudo o que leio aqui e por isto e volto sempre e sempre. E juro, acho estranho você pensar que o que escrevo é irretocável - looooonge disto, Pam.

    O que escrevo, querida é justamente o resultado do exercício permanente do mais atento olhar (de aprendiz) sobre tudo o que leio e que vocês escrevem.
    Mas acredite, a tua geração escreve bem prá danar.
    E você tem uma escrita tão convincente que qualquer leitor juraria tratar-se, aqui, de uma mulher que perdeu um homem (ou amor) e tudo pela mais comum e simples, exitação, falha de comunicação e tudo bobagem.
    Porque como você escreveu, como se complica o viver, né?
    Ando tentando exercitar o descomplicar de tudo - mas é difícil prá raio.
    Sou tua fã e ponto.
    E pelo amor de Deus nunca deixe de comentar, criticar, acrescentar, sugerir, lá no meu blog. É justamente com pessoas como você que eu aprendo.

    beijos, querida.

    ResponderExcluir
  9. Eu queria não concordar com o texto, dizer que ele não é bem mais do que tu merece. Ninguém merece tanto descaso, tanta ironia do acaso, Pâm. Os amores, correspondidos, deveriam ser vividos lado a lado, não com essa incansável indiferença, presente quase sempre. Acredito que os mal entendidos foram feitos para serem concertados e, se assim te é, que corrija, então.


    Eu amo tudo o que tu escreve, mesmo não querendo concordar com as palavras. É que te tenho tão dentro de mim, que sentir você doendo, dói cá dentro também. E se as palavras são afiadas, corto-me e sangro inteira. Por dentro. Por você.

    Um beijo mais doce que docedebatatadoce.

    ResponderExcluir
  10. Pam, aprendi - as duras penas é verdade - que não há um culpado. No sucesso ou no fracasso de uma relação haverá sempre dois responsáveis. Ninguém é bom demais para ninguém. Ninguém é menor que ninguém, a não ser aquele que não sabe amar. E talvez isso torne quem sabe amar sem a ênfase da recompensa maior, talvez.


    Bjos

    ResponderExcluir
  11. Eu realnmente acredito nessa tua grandeza. Por essa crença, sei que tu mereces muito mais que qualquer homem, hoje, possa te oferecer.

    Você é tão doce. A vida será assim para ti, também!

    ResponderExcluir
  12. Perai se for mesmo o que eu entendi do texto, você se arrepende?
    temos que conversar !


    obrigada por tudo, bjs.

    ResponderExcluir
  13. eu não desisto do que eu quero...não enquanto eu ver uma luzinha (mesmo que seja fraquinha fraquinha).

    ResponderExcluir
  14. Ai flor, incrível como o nosso tempo cronológico/sentimental parece sempre o mesmo... As coisas acontecem contigo, e acontecem comigo... E a gente acaba se escrevendo e descrevendo. Mas olhe, o meu tempo anda um pouquinho acelerado, e creio que por agora já tá tudo bem. Olhe só, flor, acho que por aí também pode ficar! Também tenho essa mania de me diminuir, e isso o irrita. Eu o irrito por me achar irritante... Complicado.rs
    Mas passa, flor, sempre passa. A gente não pode voltar o tempo, mas pode, nesse tempo que ainda vem, fazer das coisas diferentes.
    Beijo doce, e sorte pra você. :)

    ResponderExcluir
  15. Pam, fico feliz que esteja tudo certo.
    Sobre ele ler, pois é, é sempre assim né? Depois que a gente perde é que dá valor. Foi assim, uma vez com ele, outra comigo.
    Mas vamos enfrente.

    Fico mais feliz quando o amor vive fora de mim.

    Bjos

    ResponderExcluir
  16. Gosto muito de escrever cartas. E também gosto de le-las. Principalmente aquelas sincera, como a tua.

    Pedir perdao é para quem tem coragem.


    Um lindo beijO

    ResponderExcluir
  17. Que triste!!
    sabe, eu tbm queria pegar uma borracha e apagar um monte de coisas da minha vida...mas, infelizmente, não é assim... e talvez assim seje melhor.
    bjus

    ResponderExcluir
  18. Não importa o que eu diga, serão apenas palavras e silêncio...Sei como você se sente, porque eu já passei por isso uma vez...Hoje ela está do meu lado novamente, mas foram meses incansáveis de luta para mostrar o quanto eu estava errado...

    O que acontece PAM (se é que posso chamar assim), a vida torna-se vida, apenas e simplesmente apenas, quando aprendemos, com ela, a viver as duras penas, para depois sabermos voar livres e calmos...

    braço e lindo sincero texto

    ResponderExcluir
  19. as palavras que usou são perfeitas.
    e o contexto da história é igual a minha história.
    gostei do teu texto (:

    ResponderExcluir