Bonita,

10:08

Já te pintei algumas vezes estrelas nos olhos. E confesso que os teus melhores sorrisos foram àqueles bordados como se bordam ponto cruz, preciso, perfeito e todo meu. E todo o meu romantismo – piegas, talvez – te encantava. Sempre fui teu. E assim desejava ser, para sempre.

Mas nós andávamos de mãos dadas e a festa na cidade estava cheia demais. Eu apertava a tua mão, como quem segura uma criança para que ela não se perca. Sim. A tua mão quente e macia envolvida na minha, menina. Eu tinha medo. Eu via tantos rostos indo e vindo, alguns empurrões, estava apertado. Queria tirar você dali, sentia o teu sufoco. Você procurando ar para se libertar.

Então, eu vi. Aquela criança que chorava encolhida em um beco da última avenida. Olhei para você e com um olhar doce me assentiu. Sim. Soltei a tua mão e fui ao encontro do menino. Estava apenas assustado, pobrezinho. A sua mãe estava com os outros foliões, me avistou e veio ao nosso encontro.
O abraço do pequeno em volta de sua mãe foi consolador. Eram amor e saudades entrelaçados ali. Eu chorei feliz. E tão logo te busquei com os olhos, mas eu não te encontrei, doce.

E os meus olhos pesaram. A rua estava cheia. Tantos olhos, nenhum deles havia estrelas, assim como os teus.

E eu me perdi.

Você também pode gostar

18 comentários

  1. É,
    talvez tenha ocorrido mesmo, assim-assim.

    Tu me encanta, Pam.

    ResponderExcluir
  2. talvez ele só estava brincando de esconde-esconde :)

    beijas ;*

    ResponderExcluir
  3. Nunca mais eu vi os olhinhos do meu amor.

    ResponderExcluir
  4. Obrigada por visitar meu blog, adorei teu comentário; aliás, tem esse problema mesmo, são tão involuntárias que tudo ficaria de cabeça para baixo, mas esse mesmo modo impulsivo pode transformar-se quando submetidas à pressão e todos os medos que cá dentro de nossas mentes estão, travam. Prefiro o movimento...

    Sobre um texto teu , um trecho muito lindo: "Hoje eu não sinto. E sentir nada, me dói também." Escreves muito bem!

    Beijo
    ;*

    ResponderExcluir
  5. eu fiquei trsite;
    a-do-ro os comentários do Marcelo.[2]

    ResponderExcluir
  6. O sol dele se pôs... Escureceu. E no escuro não nos vemos. Nós nos perdemos.

    Estou encantada, como sempre.

    ResponderExcluir
  7. E há ainda quem se perca quando se encontra nos outros. Complexo, não?

    a-do-ro os comentários do Marcelo.[3]

    ResponderExcluir
  8. Obrigada pelo comentário e pelas exelentes palavras! :D

    ResponderExcluir
  9. Ela o perdeu. não conseguia mais ver o brilho dos olhos. porém acredito e sei que ela ainda o sentia!

    E o sentir os unirá ♥

    ResponderExcluir
  10. a-do-ro os comentários do marcelo [3]

    vai ver ele não teve ninguém para ampará-lo há tempos atrás.
    porque, sim, ele realmente era um frustrado.

    ResponderExcluir
  11. Nossa... ele perdeu sua estrela-guia. Que triste isso.
    Confesso que esse texto não me fez reagir bem.


    Beijo, Pâm!

    ResponderExcluir
  12. Mas se reencontrarão!

    Quando a causa é justa, tudo se perdoa!

    ResponderExcluir
  13. Mas ele vai se encontrar (n)ela de novo, não vai?

    ResponderExcluir
  14. Bom creio que ao ver aquele menininho ali assutado e indefeso você se viu nele,e ao tentar ajudá-lo acabou se ajudando também...=]
    Kii linduu..

    ResponderExcluir

@eupamelamarques

FANPAGE

DIREITOS AUTORAIS

Todos os textos publicados aqui neste blog são de minha autoria ou de autores convidados. As fotos e gifs foram retiradas de sites como Pinterest e Tumblr, sendo assim, para de fim direitos autorais, declaro que as imagens NÃO pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente comigo por meio do e-mail: adm.pamelamarques@gmail.com. Eu darei os devidos os devidos créditos.