Ei, psiu!



Ei, psiu!
Fala baixinho pra ninguém escutar. 
Sabe o que é? 

Deixa eu sussurrar no seu ouvido. É tanta felicidade que dá até medo de falar. Que loucura isso! Às vezes não dá pra acreditar nas voltas que a vida dá. Se me dissessem há 8 meses que hoje eu estaria assim eu daria uma gargalhada e diria que jamais seria possível. 

É que depois de tanto tempo andando, andando e andando na contra mão do amor, com a cabeça apontada para o chão você apareceu. Me aparece feito um furacão, um terremoto. Sei lá! Fazendo com que eu esqueça toda dor que havia preso aqui no dentro do peito. Não foi tua aparência ou algo do tipo que me encantou. Foi teu fino trato, esse teu jeitinho carinhoso de entender os mínimos detalhes que toda mulher gosta de ter.

Foi o teu pegar na mão com delicadeza sem segundas intenções, foi a sua preocupação no dia a dia em saber como eu estou, que me fizeram superar todos os traumas. Me senti amada, viva, entende? Mas já não quero falar do passado, quero falar do nosso futuro, quero falar das estrelas que a gente já pôs nome, quero falar de qualquer coisa que me coloque brilho nos olhos. Eu falo demais né? Risos. É que tudo isso parece um sonho.

É a tal da reciprocidade que resolveu aparecer por aqui. Tanto que eu sonhei com ela, tanto que pedi a Deus alguém que chegasse sem máscaras, sem jogos, sem data marcada para partir. E você chega assim: a pé mesmo, sem cavalo branco, sem nada. Por isso que te pedi para falar baixo, se as paredes têm ouvidos como dizem, é melhor silenciarmos a boca e deixar o coração gritar entre nós para nossa própria segurança. Me dá teus dedos, segura na minha mão e me belisca, será que isso tudo não é só um sonho? 

Eu sei que você existe! 
Sinto teu carinho que arrepia minha alma, sinto o teu coração bater no mesmo compasso que o meu. Chega me dá vontade de fazer um reality show para todo mundo ver que o amor existe sim. Risos. Mas não precisamos de câmeras, não é?  Precisamos sim um do outro. Deus é a nossa platéia. Precisamos é fazer com que esse amor floresça cada vez mais para que possamos viver tudo isso como se não houvesse amanhã. 

Quer saber de uma coisa? Ah! Vem logo, traz as malas de uma vez, que eu já separei teu cantinho no guarda-roupa pra você terminar de bagunçar tudo por aqui. Ou melhor, acaba de arrumar tudo o que você já fez. A gente não deve nada pra ninguém, a gente só tem a obrigação de ser feliz e ponto!

Nosso amanhã é incerto, eu sei. Não temos garantia de nada nessa vida, mas quem precisa de garantia de alguma coisa, não é? Somos adultos, crianças grandes na verdade. Porque quando o assunto é você, me sinto igual a um bebê manhoso querendo apenas me acalmar nos teus braços. 


Compar:

0 comentários