A nossa vida é uma longa estrada. Muitas pessoas passarão por ela e se instalarão ali para sempre, outras apenas passarão. Sem tantas demoras. Sem tanta cerimônia. Devemos ter em mente que algumas pessoas são nômades, forasteiras, elas são do mundo ou vivem à procura de alguém que as complete. Experimentamos o amor em seus braços, planejamos uma vida baseada em filmes hollywoodianos ou em comerciais de margarina sem perceber que sonhos e planos devem ser feitos a dois para darem certo.

Deixa ir, moça. Desata esse nó que te prende ao passado, viva os dias que batem em sua porta implorando para que você os viva. A vida está correndo apressadamente lá fora, os relógios não se demorarão porque você insiste em abraçar aquele que não é mais teu. O tempo não congelará nos momentos que vocês estiveram juntos não. Para de sofrer, menina. Olhe para a frente e veja um tanto de possibilidades que te aguardam. Olhe para o lado e veja que muitos desejam o teu coração. Siga em frente.

Às vezes deixamos grandes oportunidades passarem porque ficamos presos às lembranças, aos momentos bons. Dê a você mesma a chance de escrever uma história nova, sem dor, sem mácula, sem remendos. A gente tem que parar com essa fixação de que só seremos felizes se estivermos ao lado de uma certa pessoa. O mundo tem 7 bilhões de oportunidades e você se atém apenas a uma.

Não se submeta às sobras, não se vista de formiga, anseie por um banquete. Não se sujeite a ser segunda opção de ninguém. Viva a sua vida, moça. Desligue-se do mundo em que o outro está inserido, deixe que ele vá embora, solte a mão, deixe-o ir. Ele não foi? Quem quer permanecer não vai embora nem até na esquina. Quem quer ficar não dá adeus.

Chegou a hora de você se olhar com gentileza e se amar um pouco mais. Quando alguém abre mão de nós, quando batem a porta de nossos corações, eles já sabem o que ganham e o que perdem nisso. Não aposte em arrependimentos, não torça para que a pessoa se dê mal e volte aos seus braços. Não se diminua. Quem foi embora sabia que não te encontraria na mesma casa, na mesma estrada, no mesmo local. E você deveria entender que por mais que amemos, alguns amores não são para ser. Se ame, menina. Vá viver.