O meu amor é uma luta que eu perdi.

15:04


O meu amor é um galeguinho carregando uma mochila de rodinha para a escola. Um menino que somente nasceu no coração. É uma casa com um jardim cheio de rosas e flores silvestres. E, um canteiro cheio de cheiro-verde e manjericão. O meu amor é um mapa mundi emoldurado em um escritório cheio de móveis rústicos. São facas artesanais que ganham vida na garagem da casa. O meu amor é um porta-retratos com a foto de uma moça de lábios vermelhos, olhar distante e apaixonado. O meu amor são várias cartas postadas, em diversas épocas, são declarações de amor feitas às escondidas em blogs secretos.

O meu amor é a admiração de meu pai e o respeito por alguém que acabara de conhecer. É um até breve sincero de quem realmente esperava um retorno. O meu amor é um almoço em família com vinagrete azedinha e o olhar dele me acompanhando pela cozinha. O meu amor é o sorriso dele ao me fitar, o abraço dele ao me agarras na sala, na cozinha, na área e no sofá. O meu amor é uma filmagem no carro deixando quem dirigia afobado. É um entrelaçar de dedos enquanto a noite vai banhando o Lago Paranoá.

O meu amor é um cafuné gostoso deitado no colo de quem se ama. É a volta da casa com forró no carro, é um caldo apimentado à noite e beijos que pareciam não ter fim. O meu amor é um começo que não tem fim. É um perder e encontrar-se ali. São os olhos miúdos a decifrar meu coração, meus olhos. São mãos a ler em braile o meu corpo. O meu amor é uma história que nasceu para morrer. Que trouxe vida até onde pôde.

O meu amor é a insistência de que é para ser. É o coração tentando, inutilmente, confrontar a razão. O meu amor é a fé de que podemos tudo aquilo que desejarmos. É uma casinha que não chegou a ser planta. O meu amor é o desejo que ninguém mais me toque. Que não haja outro alguém, que não seja outro alguém. O meu amor é a vontade de ver teus olhos em um galeguinho e a vontade de dizer – mesmo contrariamente – que realmente só parece com você. O meu amor é uma luta que eu perdi. 



Você também pode gostar

2 comentários

  1. Pamzinha do meu coração.
    esse teu texto me arrancou umas lágrimas tímidas. :'(
    que texto mais lindo de viver. Que amor mais dolorido de sentir.

    Beijo meu

    ResponderExcluir
  2. Pâm,

    Amor nunca, NUNCA, nunquinha mesmo, será uma luta. No amor, quando é amor, somos todos vencedores, pelo simples fato de tê-lo conquistado e não guerreado por.

    E tu sabe.

    O texto me doeu. Mas sei que as palavras saíram por uma necessidade maior: a de se ver do avesso pra se entender por inteiro.

    Ame.

    ResponderExcluir

FANPAGE

@igpamelamarques


DIREITOS AUTORAIS

Todos os textos publicados aqui neste blog são de minha autoria ou de autores convidados. As fotos e gifs foram retiradas de sites como Pinterest e Tumblr, sendo assim, para de fim direitos autorais, declaro que as imagens NÃO pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente comigo por meio do e-mail: adm.pamelamarques@gmail.com. Eu darei os devidos os devidos créditos.