Obrigada por me magoar, rapaz!



É sério. Obrigada por me magoar mesmo. Fiz de você um príncipe encantado que você nunca foi. Fiz de você meu grande amigo que você nunca foi. Existem any maneiras de se dar um fora em uma mulher. Você não usou nenhuma. Preferiu ir levando tudo como se desse pra equilibrar tudo o que eu esperava de você e a sua vida. Com a sua família, seu trabalho, seus planos.

Eu queria coisa séria. Você queria uma diversão. A namorada estava no exterior e eu não sabia da existência dela. Obrigada por me magoar, me fazer de plano B. Eu não queria enxergar. Mas bastou ver suas atitudes, sua frieza e o esforço que você fazia pra ver meu sorriso que eu percebi. Tinha algo ali. No começo eu realmente não quis enxergar. Mentia pra mim mesma.

Era mais fácil assim. E você me ignorava. Eu ia te driblando. Ia insistindo. Achava que no alto da minha guerra de ego imbecil, estava no pódio. Mas minha autoestima estava guardada à cadeado em uma gaveta. Meu orgulho foi abaixo. Quanto mais me humilhava, mais achava que estava te ganhando. Só que você só era educado. Bastava dizer “não”. Era só dizer que não queria e me tirar da sua vida. Mas você dizia não querer e me abraçava no dia seguinte. Ficava todo fofo. Então eu ia relevando. Sabe, rapaz, te agradecer por me magoar é a forma mais madura que tenho pra dizer: eu acordei.

Te venci. Tirei você da minha vida. Saí do seu caminho. Mudei meu rumo. A depender de você, estaríamos até hoje nos vendo por aí. Você ia sorrir pra mim. Me abraçar, me beijar. E isso nunca teria fim. Era bem capaz deu enlouquecer. Me sentia como um boneco de cordas. Era manipulada pelas suas atitudes. Hoje me pego pensando em tudo e me pergunto “onde eu estava com o meu juízo?”. Se você não tivesse me magoado como fez, talvez eu ainda estivesse nessa loucura de mentir pra mim. Você não era frio. Não era ocupado. Não era indiferente. Não era inconstante.

Você não tinha interesse por mim como eu tinha por você. Seu único erro foi não sair do meu caminho antes de me magoar. Mas foi melhor assim. Cresci muito depois de você, moço.
Por isso sou grata. Isso foi necessário pra eu ver onde tinha me enfiado. Pra eu enxergar o que estava diante do meu nariz, mas eu fingia não ver. Era mais fácil e doce mentir pra mim.

Achar que você tinha escolhido uma vida preto e branco. E que eu iria colorir a sua vida. Você já tinha quem colorisse a sua vida. Só não me disse. E preferiu sim, o preto e branco. Mas me mantinha por perto. Devia ser bom não é mesmo? Ter sempre a trouxa aqui pra te ajudar. Te ouvir. Dar boas gargalhadas. Ser compreensiva. Claro que era bom! Era perfeito! Só que a trouxa aqui cansou. Porque até as trouxas se cansam. Saem de cena. Mais uma vez, rapaz, muito obrigada por me magoar. 


Compar:

0 comentários