Resenha - A garota que você deixou pra trás


LIVRO: A garota que você deixou para trás 
AUTOR: Jojo Moyes 
ANO: 2014
EDITORA: Editora Intrínseca 
PÁGINAS: 384  
SINOPSE: Durante a Primeira Guerra Mundial, o jovem pintor francês Édouard Lefèvre é obrigado a se separar de sua esposa, Sophie, para lutar no front. Vivendo com os irmãos e os sobrinhos em sua pequena cidade natal, agora ocupada pelos soldados alemães, Sophie apega-se às lembranças do marido admirando um retrato seu pintado por Édouard. Quando o quadro chama a atenção do novo comandante alemão, Sophie arrisca tudo a família, a reputação e a vida na esperança de rever Édouard, agora prisioneiro de guerra. Quase um século depois, na Londres dos anos 2000, a jovem viúva Liv Halston mora sozinha numa moderna casa com paredes de vidro. Ocupando lugar de destaque, um retrato de uma bela jovem, presente do seu marido pouco antes de sua morte prematura, a mantém ligada ao passado. Quando Liv finalmente parece disposta a voltar à vida, um encontro inesperado vai revelar o verdadeiro valor daquela pintura e sua tumultuada trajetória. Ao mergulhar na história da garota do quadro, Liv vê, mais uma vez, sua própria vida virar de cabeça para baixo. Tecido com habilidade, A garota que você deixou para trás alterna momentos tristes e alegres, sem descuidar dos meandros das grandes histórias de amor e da delicadeza dos finais felizes.

Em 1916 conhecemos Sophie Lefèvre, uma francesa que deixa Paris para viver no hotel da família em St. Perónne com seus irmãos Helène e Aurelien e sobrinhos, depois que seu marido o artista plástico Édouard Lefèvre foi convocado para lutar na 1ª Guerra Mundial. Sophie guarda com grande carinho e admiração um autorretrato feito pelo seu marido, ele fica exposto na sala de jantar do hotel. Em dado momento da Guerra os alemães utilizam o hotel para fazer suas refeições diárias, apesar das queixas de seus vizinhos, Sophie via isso como uma forma de ajudar sua família, podendo assim amenizar a fome que sentiam. Mas o que Sophie não esperava era que aquele autorretrato iria causar tanto fascínio em Herr Kommandant e que por conta disso ela acabaria entrando em um jogo de interesses que iria mudar completamente a sua vida.

Em 2006 na cidade de Londres, Liv Halston, tem pendurado na parede de seu quarto o quadro A garota que você deixou para trás que seu marido lhe deu de presente durante a lua de mel. Liv que no momento ainda vive o luto pela perda do marido à quase quatro anos, vê no quadro a melhor lembrança que se poderia ter dele. Na data da morte do marido Liv resolve sair para não passar aquela data sozinha e acaba indo a um bar gay, onde por ironia do destino sua bolsa é roubada, mas também onde conhece Paul McCafferty por quem sente uma grande atração. Mas mal sabe ela que conhecer Paul não seria uma surpresa tão agradável. Paul era o advogado da família Lefèvre que estava atrás do quadro que havia sido roubada durante a 1ª Guerra e tudo muda quando ele vê o quadro A garota que você deixou para trás no quarto de Liv.

E mais uma vez Jojo Moyes nos trás um livro com uma temática muito frágil e intensa. Esse foi o quarto livro que li da autora e mesmo assim continuo me surpreendendo com sua escrita e com a forma como consegue nos tocar diante de situações delicadas.

O enredo é todo construído em torno do quadro A garota que você deixou para trás. Na primeira parte tem como cenário a triste época da 1ª Guerra Mundial e na segunda parte os anos 2000. Sendo o mesmo muito bem desenvolvido durante a história e com um final de cair o queixo. Os personagens também são muito bem construídos, as protagonistas são bem parecidas, mulheres de personalidade forte e guerreiras, que vão até o fim para defenderem seus interesses, os personagens coadjuvantes da história também chamam bastante atenção um destaque todo especial a Mo, amiga de Liv. A primeira parte do livro é escrita em primeira pessoa, já na segunda parte do livro a narração é em terceira pessoa.

Gostei muito da leitura, livros que se passam durante a guerra sempre nos trás belas histórias. É uma história que te prende do inicio ao fim, devido aos absurdos que aconteceram durante a Guerra, pelo amor que Liv tem pelo quadro e para que tudo seja esclarecido e acabe bem. Apesar do cenário, trazer muita tristeza, miséria e todo o terror da guerra ele tem a mensagem de que nunca podemos desistir do que acreditamos.


QUOTE:

"Desconfio que o senhor e eu tenhamos definições diferentes da palavras valor." 

"Tentei me lembrar de quando eu tinha sido mais que uma coisa, quando até numa cidade cheia de alemãs eu tinha dignidade, inspirava algum respeito, mas era difícil. Meu mundo todo agora se parecia com aquele caminhão. Aquele chão frio de aço. Aquela manga de lã manchada de vermelho."

"Fiquei ali olhando para a garota e, por alguns segundos, me lembrei de como era ser ela, sem sentir fome nem medo, interessada apenas nos momentos que eu poderia ficar a sós com Édouard. Ela me fazia lembrar de que o mundo era capaz de beleza e que já havia existido coisas - arte, alegria, amor - que enchiam o meu mundo, em vez de medo, sopa de urtiga e toque de recolher. Vi Édouard na minha expressão. E então percebi o que eu acabara de fazer. Ele me lembrara d. minha própria força, que ainda restara dentro de mim para lutar."

"O que isso ensina a gente, Sr. Mc Cafferty, é que na vida há coisas muito mais importantes que vencer." 


Compar:

0 comentários