O jogo virou




E eu a perdi. Nunca dei valor a essa garota, quando me dei conta já era tarde. Eu nunca valorizei essa mulher que tinha ao meu lado, fazia questão de ignorar todas as chamadas dela. Adorava dar bolo nos finais de semana e tinha a certeza que ela continuaria ali me esperando. Ela nunca sairia para uma balada sem me avisar antes, aquela garota era dependente demais da minha pessoa. Ela estava apaixonada e eu tinha a certeza que isso a prenderia a mim. Tinha um jeito todo meigo, inocente e até meio carente. Não teria coragem de me deixar, porém o jogo virou não é mesmo.

Cheguei um belo dia em uma balada e vi uma mulher de costas, com um vestido preto e cabelos soltos, tinha todo charme e era exatamente isso que estava me chamando atenção naquela mulher. Estava de lado e eu notava o jeito com que ela segurava o copo e por algumas vezes alternava com o cigarro. Precisava conhecer aquela mulher, quando cheguei perto não acreditei, o que ela estava fazendo ali? Ela me olhou de cima a baixo e disse:

- O jogo virou não é mesmo? Hoje é minha vez de me divertir.

Virou as costas e partiu. De longe eu notava o poder que ela tinha, não parecia nada com aquela garota que eu conheci: sensível, delicada, toda cheia de medo e com aquelas manias tão lindas. Ela sorria colocando a mão na boca e quando ficava tímida as suas bochechas coravam. Ela tinha uma inocência misturada com uma malicia no olhar. Ela me deixou ali, babando por ela e percebendo o quanto tinha sido otário de não valorizar essa mulher. Porém como ela mesma disse, o jogo virou e hoje ela está por cima. Faz questão de frequentar os mesmos lugares que eu e por vezes me ignora, não atende mais as minhas ligações e evita qualquer tipo de contato. Hoje sou eu quem sofro por esse amor que eu não soube valorizar.

A garota dos meus sonhos partiu e eu nem tive tempo de segurar.


Compar:

0 comentários