Não vou colecionar lembranças, moça.


►Leia ao som de Forever Young, Alphaville◄

Não vou colecionar lembranças, moça. Mas é tão estranho olhar para as inúmeras recordações e saber que você não está mais aqui. Eu ouço as mesmas playlist's de sempre. Não há como não ouvir aquelas músicas da década de 80 ou até algumas mais recentes e não pensar em você. Ouço a nossa trilha sonora e em seguida - quase que de supetão - troco a faixa. Não tenho coração para ouvir o brasiliense - ô ironia! - cantando que amou te ver. Eu também amei. E talvez ainda ame. Desde a primeira vez. Aquele em que você apareceu timidamente do outro lado da tela. Até quando meu olhar cruzou com teu olhar desesperado no aeroporto. É, eu amei te ver. E amei entrelaçar os meus dedos nos teus. Fazer cafuné no sofá da sua sala. Caminhar de mãos dadas pelo shopping, pelo lago Paranóa, pela tua vida.

Não vou colecionar lembranças, moça. Ou não pretendo. Ou eu não sei o dia de amanhã. Só sei que Renato Russo parecia prever a gente - antes mesmo de nos conhecermos - quando cantava: onde está você além de aqui dentro de mim. Por onde será que você tem andado? Você tem se alimentado direito? Tem conseguido estudar como havia planejado? Tem brincado com os seus sobrinhos que tanto os amo? O que você tem feito? Tem pensado em mim? Eu não vou colecionar lembranças, moça. M-O-Ç-A, não me soa tão bem te chamar assim. Mas é o que me restou. Vez ou outra ainda penso em te chamar de amor. Mas será que você ainda é o meu amor? Mas será que ainda sou o seu amor? 

Não vou colecionar lembranças, moça. Só que vez ou outra aparece alguma notificação aqui e o coração aperta. Será que aperta aí também? Eu me questiono se o nosso fim era esse mesmo ou se tomei apenas uma decisão errada ou se peguei um atalho que não devia. Você ainda é a moça que enroscou o cabelo no meu colar? Você ainda é a moça que eu dava "bom dias" todos os dias querendo me aproximar? Você ainda é a moça que pisca os olhos dengosa só para me apaixonar? Você ainda é a moça que eu fazia carinho na tela do telefone? A mesma moça que vi dentro dos olhos a minha felicidade? Ainda é você? 

Não vou colecionar lembranças, moça. Só que de vez em quando eu abro o celular e meu coração pesa um pouco. Onde foram parar os meus bom dias? Por onde andam os meus "dorme com Papai do Céu". Tudo parece tão surreal. Como é que a gente tem alguém na vida e perde assim? Como é que a gente ama e deixa alguém partir? Tenho ouvido música demais. Nenhuma romântica demais. Tenho escutado algumas músicas que não me lembrem de você. Vez ou outra a faixa pula sem querer. Alphaville tocou esses dias e eu fiquei pensando como você ficava linda e desconcentrada ouvindo ela. Forever Young. Como você fica bonita cantarolando ela. Forever Young. Como você parece feliz ao escutá-la.

Não vou colecionar lembranças, moça. Chamar você de moça me dói igual você me chamar pelo meu nome. Só não dói mais do que não ter você para me chamar pelo nome. Não ter áudio ofegante de quem sobe escadas. Não ter "bom dia, amor" mesmo quando eu não merecia ser chamado assim. Não ter boa noite ou suas selfies de olhos revirados. Não ter suas fotos com seu vestido surrado. Não ter você sem vergonha ou medo de ser quem é. Eu não vou colecionar lembranças, amor. Ou talvez eu vá. 

Talvez.


Compar:

0 comentários