A importância do regozijar-se.

Todos os dias recebo devocionais que uma amiga ‘londrina’ me envia. Ela em sua santa paciência traduz, porque os recebe em inglês (e o inglês da pessoa aqui não é bom o suficiente). Tenho crescido muito desde que recebi o primeiro. Confesso que os leio algumas vezes ao dia. A primeira vez que é pela manhã, exatamente às 6h, à tarde e quando vou dormir.

Há uma sicronicidade fantástica nos textos que recebo com o momento que estou vivenciado. Com lágrimas nos olhos, nó na garganta e coração acelerado terminei de ler alguns textos. Levei alguns tapas na cara, foi necessário que eu acordasse para a vida, já recebi abraços tão fraternos de Deus em cada linha e percebi que o vazio que me faltava naquele momento só se preencheria com Ele.

Quero compartilhar sobre a visão que tenho, ou que tenho tentado ter, sobre a vida. Dizer que ela é bonita, que os problemas passarão e esperar por dias melhores todos nós fazemos. É muito fácil, afinal. Acontece, porém, e hoje compreendo, que a vida também se projeta olhando vez em quando para o passado.

Hoje em uma conversa com essa amiga ela me perguntou se eu sabia o que era regojizar. De imediato disse que sim. Quem nunca leu na bíblia essa palavra e teve curiosidade de procurar saber. Ok. Nem todos têm a curiosidade de procurar, então eu imaginei e disse: “se alegrar, ser contente.” Então, ela me disse que no inglês era mais fácil entender, que se traduzia: “alegrar-se de novo.”

Antes de chegar neste ponto, um pouco mais cedo, conversava com um amigo sobre contentamento. Você já parou para pensar o quanto maldiz a sua própria vida? É natural do ser humano não reconhecer as dádivas que possuem. Nós nos apeguemos àquilo que não temos. Eu, por minha vez, me deparo todos os dias diante de vários questionamentos. Digo a Deus o quanto desejo ter algo, mas não me recordo o quanto já fui abençoada desde o meu nascimento.

Voltando ao regojizar-se. Ela me recordou de várias vezes em que na Bíblia Deus nos fala através do passado. Diversas vezes Ele diz: “Eu sou o Deus que te tirou do deserto”, “Eu sou o Deus de Abraão”. O Senhor nos recorda os seus feitos para que nos alegremos de novo, para que lembremos que onde a terra era seca, em algum momento, a água molhou tornando-a fértil. Ela disse exatamente assim: “Ele quer é que você lembre do que Ele já fez no passado pra fazer você crer nas promessas futuras.”

Hoje eu recordei o deserto em que estive em 2012 e o quanto o Senhor me abençoou após dobrar os joelhos no chão e orar incessantemente. Lembrei ainda de 2013 quando minha irmã descobriu ter um tumor ósseo e, em oração, o Senhor me disse que ela ficaria bem. E hoje me recordo e, claramente, olhando para o espelho eu vejo quem eu sou e quem eu era há alguns anos, meses, dias. É necessário que nós tenhamos mais gratidão. Às vezes o nosso péssimo se torna uma âncora, por isso não conseguimos sair de perto do cais.

Hoje eu recordo e agradeço. Obrigada, Senhor!

Compar:

0 comentários