Para 2015

Para 2015 não farei promessas para não me frustrar caso não consiga concretizá-las. Deixarei apenas que a vida siga seu curso normal. Que os dias corram macios e sem pressa. Esvaziarei o coração de expectativas e me abandonarei nos braços do improvável. Quem sabe a vida, só para me contrariar, não me faz uma surpresa boa e trata de colocar no trilho novamente esse trem que é a minha vida. Não me frustrarei com as decepções obtidas nesse ano que se passou, porque fiz delas degraus – apesar de subi-los muitas vezes de joelhos -, até a maturidade que necessitava. Para o ano vindouro desejo apenas que o amor me abrace e não me solte. Se houver amor em minha vida, todos os outros sentimentos também florescerão. Planto algumas sementes despretensiosas hoje para cultivar um jardim bonito às minhas borboletas.

Que voem até mim.

Fotografia: Lucas Nunees.

Compar:

1 comentários

  1. Que 2015 te abrace com delicadeza, minha amiga. Que as borboletas te encontrem.

    Te gosto.

    ResponderExcluir