O quarto dele.

16:59





A janela não denuncia que o Sol há muito se aproxima, mas os pássaros insistem em avisar que o dia já está nascendo. Olho para o relógio sobre a cabeceira e vejo os ponteiros se movimentarem preguiçosamente e acredito, talvez, que ele seja nosso cúmplice e queira estender um pouco mais o nosso encontro. Tudo que me cerca é de alguma forma familiar, apesar de não ter objetos meus, sinto que até o travesseiro se molda ao meu desejo de ficar. A respiração dele é tão calma, tão serena que me leva a imaginar o que se passa em seus sonhos. Não desejo que ele acorde, não naquele momento, quero apenas observá-lo. E assim faço.


O dia, aos poucos, anuncia sua chegada pelas frestas da janela sem persianas do quarto dele. Estou sonolenta e perdida em meus pensamentos. Queria, de alguma forma, parar de existir para o mundo e viver somente aquele instante. Como se pudesse envolver nossas vidas em uma redoma de vidro e recriar as nossas vidas ali. Sem trânsito, sem trabalho, sem os estudos que me deixam tão distante dele. Só queria. 

Olhando-o ali tão indefeso e quieto, sinto que poderia observá-lo apenas por horas a fio. Deixar os seus braços envoltos a minha cintura, naquele abraço leve e inocente que somente ele tem a me oferecer. Não há como não amar aquele menino de sorriso largo e coração grandioso. Não há como não querer que sua mão esteja estendida para me ajudar atravessar a rua. E em meio a tantos desejos e sonhos eu só quero que ele continue ali: deitado e indefeso. À espera de um mundo ao qual somente nós pertencemos.

Você também pode gostar

5 comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. E é essa a cena dos meus dias ao lado dele, foi exatamente assim, na última noite que passamos juntos antes da minha viagem de volta. Fomos dormir tarde, eu, organizando as coisas e ele comigo. Eu, inquieta, com aquele dorzinha no coração na despedida do dia seguinte.

    Acordei antes do amanhecer e fiquei assim, quieta, observando-o dormir, tranquilo e a saudade já tomando conta de mim.

    Odeio despedidas, mas o nosso reencontro é melhor do que toda saudade que fica!

    Lindo texto, como sempre.
    Beijo sabor jujuba vermelha, Pam!

    :*

    ResponderExcluir
  3. Teu texto transborda amor, doçura e vontade de cuidar <3 ~ AMEI MUITO.

    ResponderExcluir
  4. Posts sempre lindos moça.
    Boa noite. "_"

    ResponderExcluir

FANPAGE

@igpamelamarques


DIREITOS AUTORAIS

Todos os textos publicados aqui neste blog são de minha autoria ou de autores convidados. As fotos e gifs foram retiradas de sites como Pinterest e Tumblr, sendo assim, para de fim direitos autorais, declaro que as imagens NÃO pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente comigo por meio do e-mail: adm.pamelamarques@gmail.com. Eu darei os devidos os devidos créditos.