Eu superei você

18:47



Gozado olhar para trás e perceber que aquele medo de te perder não fazia tanto sentido. Às vezes eu olho para a nossa antiga relação com um certo pesar. Fico lembrando da minha insistência e esforço para te manter confortável em minha vida, das horas conversando sobre um futuro, do incentivo diário e da fé que tinha em você; lembro das tuas causas que abracei e das vitórias que aplaudi. Tudo isso me causa um certo desconforto, uma espécie de dormência. Não porque não deveria ter amado, apoiado ou estado ao teu lado, mas por olhar para nós e não reconhecer quem éramos. Por constatar que me dediquei a alguém que vivia com o pé na porta e que nunca havia desfeito as malas na intenção de permanecer em minha vida.

Não sinto saudades.

E isso sai tão facilmente da minha boca que me assusta. Esses dias me perguntaram sobre você e, por incrível que pareça, não me doeu dizer que não sabia. É estranho como as coisas se acalmaram dentro de mim e como o seu nome já não me causa arrepios. Aqui dentro tudo dorme. Há poucos vestígios da tua presença e os dias parecem tão distantes que me pergunto se eles realmente existiram. Tempos atrás a possibilidade de viver sem você me assustava e me causava calafrios. Hoje vejo que tudo na vida tem jeito. É como dizem por aí: só não há jeito para a morte.

Olhar para dentro de mim e perceber que você não me dói mais é libertador. Sinto que as amarras já não existem e que o elo que nos mantinha conectados se rompeu. A vida é realmente um interruptor e eu desliguei você. Desliguei de mim. Dos meus dias. Da minha vida. E aos poucos vou desligando dos meus pensamentos. Confesso que sua lembrança vez ou outra povoa a minha mente, mas logo em seguida se esvai. Ela sempre vem acompanhada de suas palavras falaciosas e de mentiras que vou interligando. Tudo isso me deu e me dá forças para curar o meu coração.

Não dói mais.

E perceber isso me traz um alívio tremendo, porque pela primeira vez - de todos os relacionamentos que tive - eu consegui me recuperar rapidamente. Não houve tanto choro e lamentações. Houve apenas a constatação de que não era para ser. De que você não quis ou se esforçou para ser. Às vezes a gente só precisa se olhar com mais amor e perceber que vale muito. Às vezes a gente só precisa concordar com as decisões do outro. Olhar para você, para todas as tuas dúvidas, todas as tuas desculpas e para todas as tuas invenções só me deram forças para seguir em frente sem olhar para trás.

Aqui dentro está tudo okay e está tudo definido dentro de mim. Tenho procurado me permitir mais e conhecer novas pessoas. Tenho aprendido a receber elogios, reaprendi a flertar e tenho amado todo esse começo de paixões. Venho estendendo as mãos novamente e me permitido caminhar ao lado de quem sabe onde está andando. Dúvidas demais não me comovem e entendi que não tenho e, nem preciso ensinar ao outro seus caminhos. A vida tem me presenteado com boas gargalhadas e com amores recíprocos. 

Tempos atrás a possibilidade de viver sem você me assustava.
Hoje olho para nós e percebo que superei você.



Você também pode gostar

2 comentários

@eupamelamarques

FANPAGE

DIREITOS AUTORAIS

Todos os textos publicados aqui neste blog são de minha autoria ou de autores convidados. As fotos e gifs foram retiradas de sites como Pinterest e Tumblr, sendo assim, para de fim direitos autorais, declaro que as imagens NÃO pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente comigo por meio do e-mail: adm.pamelamarques@gmail.com. Eu darei os devidos os devidos créditos.