Amor se conserta, se remenda, se costura.

►Ouça enquanto lê: Dia Especial, Tiago Iorc.◄

Nós somos um amontoado de angústias, desejos, dúvidas e sensações. Nós somos a nossa criação e o modo como observamos o mundo que nos cerca. Abraçar alguém, chamá-lo para morar em nossas vidas, não é uma simples tarefa. É necessário que abramos não somente a porta da casa, mas é preciso que se apresente os cômodos por inteiro. Trazer alguém à nossa vida requer cuidado. Não porque o outro venha de assalto e te roube a vida, mas porque é fundamental que saibamos que a casa não ficará arrumada da mesma forma. Haverá dias que em cima do sofá ele deixará um prato sujo, outros em que ela deixará a calcinha pendurada no registro do banheiro ou, deixará, ainda, que o cachorrinho deite em cima da cama. 

Haverá dias que a vontade de sumir será maior que o desejo de ficar. E, nem por isso o amor deixará de existir. Haverá dias em que nós amaremos baixinho. Dias em que nós fixaremos o olhar na foto recém mudada no whatsapp ou que fecharemos o olhos e lembraremos o quão bonito é o sorriso dela. Dias em que sorriremos ao lembrar dos cinco dedos na perna dela e a vontade esmagadora que tinha de sair mordendo porque a achava "fofinha" demais. Haverá dias difíceis em que a razão brigará com o coração. E então, o danado do coração, nos lembrará do adeus no metrô e das seguidas mensagens: "vamos comigo, ainda dá tempo, por favor!"

São nesses dias tenebrosos que a vida levará o amor à prova. Queremos viver intensamente apaixonados. E não compreendemos quando a vida muda um pouco aquilo que imaginávamos. Apaixonamos ao longo de nossas vidas inúmeras vezes. Mas amar, ah! Amar é algo de outro mundo. Só quem experimenta o amor recíproco é que sabe a dádiva que é olhar nos olhos do outro e ver um eu te amo sem ser pronunciado. Só que se vê dentro do outro sem medo, sem culpa, é que sabe o quanto vale a pena toda a distância e todos os dias riscados no calendário.

Amar requer paciência. Quando decidimos por alguém, por amá-lo, abraçamos não somente suas qualidades, mas os defeitos, os traumas, as manias e uma porção da bagagem que ele carrega consigo. Amar é uma luta diária e só nos damos conta disso quando os defeitos começam a surgir. Nós olhamos para a pessoa e dizemos: "ei, vou te devolver para a sua mãe. Ei, vou fazer uma queixa no PROCON". Brincadeiras à parte, amar requer olhar para o outro e compreender que haverá dias em que discordaremos e que os defeitos gritarão demais. Mas quem ama entende que não há nada neste mundo que não possa ser mudado, corrigido, ensinado.

Amar é sofrer um pouco. Quem não ama dá adeus sem pestanejar, não se prolonga demais na casa, não aguarda a xícara de café. Quem não ama simplesmente vira as costas, não se importa se o outro está sofrendo, se está tomando seus remédios ou se alimentando direito. Quem não ama não vê a face do outro na música preferida dos dois, não tem noites insones pela preocupação do amanhã. Quem não ama não se importa se o outro está tendo um dia de cão. Só quem ama é que sabe o quanto a pessoa se faz presente mesmo quando está ausente. O quanto ela significa nos momentos difíceis e o quanto é bom correr para ela e contar as suas vitórias.

Quem ama compreende o tempo de Deus. Aquele tempo em que Eclesiastes 3 diz: que há tempo para tudo debaixo dos céus. E quem ama, também entende, e sabe que o amor de Coríntios 13 é a maior explanação do que ele representa. Amor é benigno, mas, acima de tudo, tudo espera. E sabemos que amamos alguém quando tudo nos indica a partir, mas o coração a todo momento deseja ficar. E ficamos. A gente não escolhe o amor. Ele que nos abraça. 

Amor de verdade não se joga fora. Amor se conserta, se remenda, se costura. 

Compar:

1 comentários

  1. Amiga linda,

    Você está tão madura dentro desse amor. Tão segura. Tão linda. Seu brilho chega até aqui.

    Obrigada por me permitir te olhar daqui e te sentir assim. Em paz. Me faz feliz.

    Um beijo meu.

    ResponderExcluir