Quando ele chegar.

Você chama o destino, estende um banquinho para que ele sente, como quem deseja pôr outra pessoa contra a parede, e desatina a explicar porquê a vida tem que acontecer agora. Naquele momento. Você explode com ele e diz: "tem que ser hoje". Poderia ser. Aquelas cenas românticas que só vemos em filmes ou fantasiamos em nossas mentes. O momento em que você esbarra com o outro, derruba aquilo que você traz nas mãos, quando de repente seus dedos se tocam e seus olhos vão de encontro ao outro.

Deveria ser hoje. Você poderia quase perder o elevador e o outro segurar ou, quem sabe, em um engarrafamento ele jogaria uma bolinha de papel com o número de telefone dele dentro do seu carro. Aquela troca de olhar quando as escadas rolantes se cruzam em um dia movimento de compras no shopping. Ele poderia até contatar você por meio de um telefonema errado, quando estivesse ligando para o amigo da pelada do final de semana. 

Poderia.

Você explica ao destino que deseja que ele te encontre em um dos seus melhores dias, aquela sexta-feira que você decide sair com o seu melhor vestido, aquele perfume importado recém comprado, em uma noite em que você se endeusa e decide dançar. Talvez ele te pague um drink e você aceite mesmo sem beber de fato.

Você bem que queria que fosse, mas...

Vai ser naquele dia que você se achará horrível, que o cabelo não segurará nenhum penteado e as olheiras estejam tão fundas e pretas como uma noite sem luar. Naquele chá de fraldas que você decidiu ir de última hora ou até mesmo naquele momento em que você tentará trocar o pneu no encostamento de uma rodovia qualquer. 

Chegará. 
E quando isso acontecer você dirá ao destino que todas as broncas foram desnecessárias, que esperar foi a escolha mais acertada. Apesar de. Você conseguirá enxergar nos olhos dele as respostas do porquê de tanta espera, sentirá nos lábios dele que o amor nunca se demora. É nós detalhes que o amor se esconde, é na esperança que ele vive.

Compar:

0 comentários