Demodê.

Carta em parceria com a doce Brenda.


No meu ipod toca Baader-Meinhof Blues aquela mesma música que escutamos naquele barzinho em que nos conhecemos. Ela é deprê mesmo, mas lembra que decidimos que não seríamos convencionais e que nossa música seria essa, nada de muito açúcar e sim o que sentíamos antes de nos conhecer? Só que essa mesma música que antes embalava nossos momentos mais íntimos está conseguindo me arrancar lágrimas, porque nós simplesmente iremos viver o que ela manda. Você não está entendendo, não é? Irá entender quando terminar de ler essa carta e vir que o meu lado no guarda-roupa está vazio.



Perdoe-me, mas sinto que estou sufocando com todo o seu amor. Eu nunca quis romance hollywoodiano em minha vida, não queria acordar com um beijo na testa de bom dia e aos poucos vi isso acontecendo. Tudo era tão mais divertido quando você me ligava no meio da madrugada para nos encontrarmos, quando o amor era explicito na rua, quando o seu carro embaçava em frente ao posto policial. Sabe, são pequenas loucuras que me fazem uma puta falta. Eu não quero terminar como os meus pais, sentados diante da TV assistindo ao noticiário, eu quero é a loucura de sempre.



Olhe. Eu sei que deve estar pensando: porra, toda mulher quer viver isso. E então, eu te respondo que eu também queria até descobrir que dormir de conchinha não é tão mágico assim, que os nossos defeitos ficam mais aparentes a cada despertar, que comer toda noite pizza enjoa. Eu não quero uma vida mediana e é isso que estou tendo ao seu lado. Desculpe minha crueldade, não é proposital, só quero que você entenda que o problema está em mim e não em você. Apavora-me a idéia de magoar você ainda mais e por isso eu decidi ir embora agora, enquanto não há laços tão fortes.



Sei que deve estar com as sobrancelhas levantadas e os olhos semicerrados agora e antes que essa despedida se torne dolorosa demais e que as minhas lágrimas acabem por rasgar essa folha de caderno, me despeço. Adeus, Jhonny.


Com amor,
Rebecca.

Compar:

3 comentários

  1. Essa música é linda e teu texto tbm
    ;)
    beijos

    ResponderExcluir
  2. A-do-rei escrever essa carta contigo, Pam.

    Ficou muito além do que eu imaginava. <3

    ResponderExcluir
  3. Carta linda. Amei muito.

    Simples, direta e cheia de sentimetos.

    Beijos.

    ResponderExcluir