Tarde junho.





Desde que ele entrou em sua vida o mau-humor foi passear n'outro canto. Há dias que não escurece, que a noite vem experimentando a solidão. Porque para ela o sol sempre está apontando no horizonte desde que ele começou a fazer parte do universo dela. A mente dela navega além-mar durante as horas que permanece estudando na biblioteca central. Já não há como negar que ele mexe. Sim, mexe e muito com a sua cabeça, quiçá coração. E enquanto ela caminha para sua casa, atravessando a rua ela pensa: "meu Deus, como alguém pode nascer uma única vez e ser dotado de tantas qualidades?" - E ri de si mesma com tal interrogação.


Ela, que não conhecia o amor antes de avistá-lo nos olhos azul-piscina dele. Que aprendeu a aprecia o algodão doce do seu Zé da esquina ao lado, que entendeu que o mundo estava além dos seus livros de anatomia animal, essa mesma menina conheceu novos sabores e experimentou vários cheiros daí então. Ele que com seu jeito doce, tímido e incauto de ser conquistou cada milímetro do seu coração, que por vezes mostrava-se gélido, tornando-o aquecido, quente como o Sol das dez da manhã.


A moça de olhos rasos começou a compreender que crescia dentro de si um sentimento inexplicável, talvez não tivesse sentido qualquer sensação parecida até conhecê-lo. Talvez não. Tinha absoluta certeza disso. E ela permitia afogar-se naquele mundaréu de emoções, aquela tempestade de sentimentos indecifráveis e por incrível que pareça, embora a confusão estivesse plantada em seu peito ela só conseguia sorrir e sentir-se feliz com cada faísca de ilusão e amor-recíproco que nascia entre eles.


E desse amor que nasceu insuspeitado, nasceu uma das mais belas histórias de amor já contada. Uma história de superação, recheada daquela velha pieguice que adoramos tanto ler. Afinal o amor é piegas.



Àqueles que sentem saudade do Evan e Alice. Um livro incompleto. Por enquanto.

Compar:

7 comentários

  1. Senti-me num sonho doce como tu, como teu nome: Mel. Lindo!
    E ler o texto acompanhado de uma trilha sonora tão gostosa só fez com que a sensação onírica aumentasse. ^^

    Quero muito essa pieguice pra mim.

    ResponderExcluir
  2. Que sensação gostosa e familiar... Tão bom poder sentir Evan e Alice palpáveis denovo.

    E essa pieguice é maravilhosa...

    ResponderExcluir
  3. Colocando a leitura em dia. Que saudade de vir aqui!

    Mudei de endereço e me perdi de um bocado de gente. Que bom que reencontrei esse lugar.

    Um beijo

    ResponderExcluir
  4. Ah, que delícia ler esse sentimento tão puro colocado em palavras tão lindas... Maravilhoso!

    E amor que é amor é piegas, não tem como escapar, haha.

    ResponderExcluir
  5. Quando você vai parar de me encantar Menina?

    Adorei

    ResponderExcluir
  6. o AMOR faz com que percebamos as coisas com mais detalhes, porque é pigas ser detalhista no mundo corrido de hoje...

    braço e bom texto...

    visita meu novo blog ai...

    http://acasaeorestodarua.blogspot.com/

    ResponderExcluir