O fim da linha.

Não vamos chorar dessa vez, certo? O adeus pode ser bonito, basta você juntar todos os dias que estivemos juntos. Porque se você lembrar todas as risadas, os momentos de tristezas e somar tudo vai sentir que valeu a pena a convivência. Eu não sou boa em colocar pontos finais, sempre gostei mais das reticências. Porque gosto de pensar que haverá um novo capítulo a ser escrito, mas eu acho que esse é o fim do linha para nós dois. Para que não nos magoemos com o passar dos anos, para que não se desgaste.


Não sei. Só queria dizer adeus de uma forma que você se lembrasse sempre. Que fosse importante como o início. Que não doesse. E embora eu esteja forte ou me sinta forte não sei o que acontecerá de que agora em diante. A vida, sem você, eu não gostaria abraçar. Novamente.


Enfim.

Tags:

Compar:

3 comentários

  1. O Adeus já é um abraço forçado. A gente constrói um pequeno casulo e nele guarda todas as despedidas. Ás vezes elas nos fazem lembrar, do que doeu. Do que ficou. E se for mesmo pra abraçar. Que abrace uma nova vida.

    Um beijo Panzita!
    Ficou lindo de doer!

    ResponderExcluir
  2. Oi Pâmela, você mais uma vez com as suas linhas fortes e bem dispostas me tocando de um jeito gostoso.

    Precisa dar uma revisada na ortografia, mas enfim, o texto, o bilhetinho ficou doce, sincero e muito intenso. Gostei demais.

    Beijos e Bons Ventos.

    ResponderExcluir
  3. Verdade, Tati. É que normalmente eu sempre escrevo numa pressa danada, rs. Sei que tem uns erros, mas é mais de digitação mesmo. Valeu a dica, flor!

    ResponderExcluir