Rosa.

"Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa."

(...) que a tornou tão importante para mim. E não, não encaro como perca de tempo. As pessoas costumam se lamentar a cada término de relacionamento, esquecendo-se dos momentos que valeram a pena. A beleza do relacionamento não termina com fim da relação, entende? O que quero dizer é que os momentos bons não se apagam, o que foi bom permanece na memória, nas lembranças, mesmo que muitas vezes sejam doloridas "revivê-las". Não estou em um momento deprê, pelo contrário, é reflexivo. Porque muitas vezes eu praguejei contra as pessoas que já passaram pela minha vida, dizendo que foram um erro, a pior coisa que aconteceu, mas cada um que passa deixa algum ensinamento, nos ajuda a amadurecer. Dias atrás conversava com minhas amigas sobre o namoro em si e acredito piamente que ele pode ser comparado a uma planta, se você rega, cuida com certeza ela continuará ali, viva e forte, mas quando você se desleixa ela morre.

Com alguns relacionamentos eu aprendi que brigas e ciúmes desnecessários desgatam qualquer relação. Ninguém precisa saber que existe algum descontentamento entre vocês. As pessoas esquecem que cada um tem um gênio, que para alguns a independência é necessária e que ultrapassar limites doí bem mais que bofetadas. E a cada relacionamento você vai compreendendo que a beleza, que Vinícius de Moraes dizia ser fundamental, não é tão fundamental assim. Porque não adianta você ter uma beleza descomunal e ser uma pessoa difícil de lidar, explosiva, dinamite pura. Há quem goste, mas nem todos - eu, por exemplo, estou fora dessa estatística. Na verdade, não sei o motivo de escrever isso, queria mesmo era escrever algo bonito sobre o dia dos namorados, mas me veio em mente isso: o fim. Talvez porque eu tenha decidido ser uma boa menina, paciente e compreensiva. Tenha notado que havia perdido todos os meus limites e ficado com medo disso, de mim, das minhas atitudes, reações. Talvez eu tenha escrito isso para eu mesma ler e enfiar na cabeça. Talvez eu tenha magoado e a princípio não tenha me arrependido. Talvez eu tenha errado demais esses tempos e tenha perdido completamente o controle da minha vida. Talvez eu devesse ter freado enquanto era tempo.

Mas tudo é talvez.
(...) Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa...

Tags:

Compar:

6 comentários

  1. Olá...

    Gostei do texto, da maneira que desenhou os momentos e a intensidade dos sentimentos da relação.
    E concordo com os detalhes que você riscou aí.

    Obrigada por sempre me tocar com aquilo que escreves.

    Grande Beijo

    ResponderExcluir
  2. isso é o mais importante: aprender e sabr que foi feliz.. adorei

    ResponderExcluir
  3. O importante mesmo, é o você aprendeu

    Amei o texto Pâmela.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Pela felicidade ou dor.. Tudo gera um ensinamento. E eu diria que fundamental.

    ResponderExcluir
  5. O Pequeno Príncipe é muito amor!

    Tô contigo em todas as palavras, sem tirar nem pôr.

    Sempre doce, você.
    Beijos, Pam.

    ResponderExcluir
  6. Sou completamente apaixonada pelo Pequeno Príncipe. Mais ainda por tua escrita.
    Não deixe que o "talvez" reine nas suas decisões, ou no seu passado. Se aconteceu, foi necessário para o teu aprendizado agora.

    Belíssimo jogo de palavras.
    Um beijo.

    ResponderExcluir