Resenha: Proibido - Tabitha Suzuma



Avassalador. Nenhuma outra palavra pode definir essa leitura.

Lochan é um adolescente de 17 anos, inteligente, sensível, introspectivo e que tem problemas de relacionamento com qualquer pessoa que não seja da sua família. Em contrapartida, assume o papel de homem da casa, com a ajuda de Maya, sua irmã, uma jovem de 16 anos, extremamente madura, doce e delicada. Juntos, Lochan e Maya assumem o papel de pais dos três irmãos mais novos: Willa, Tiffin e Kit. Encobrindo o abandono da mãe para o serviço social, a fim de permaneceram juntos.

Dois jovens, marcados desde a infância pelo peso de responsabilidades competentes aos adultos. Encontram um no outro o apoio para encarar a realidade e dificuldades tão precoces para suas idades. Se tornando os únicos e melhores amigos um do outro, e despertando um sentimento que ultrapassa a cumplicidade comuns aos irmãos.

Comecei a leitura com certo receio, pois já conhecia o tema que seria abordado. Mas não foi somente o proibido relacionamento incestuoso que fez deste livro um dos mais tocantes que já li. A autora traz questões sociais muito fortes, contadas com muita sensibilidade e emoção, e te leva a pensar e repensar o conceito de certo e errado ao passo que as coisas vão acontecendo e, principalmente, que não é possível escolher a quem amamos. Embora culturalmente seja um erro, uma abominação, judicialmente um crime, o fato é que o amor está ali e precisa ser sentido e vivido na sua forma mais pura e generosa...

Apesar de ter sido devastada por este livro, foi maravilhoso ver a evolução dos personagens, o modo como o amor de Maya consegue tornar Lochan mais confiante e forte. O empenho dos dois para que os irmãos estejam juntos e felizes, apesar de tudo.

Proibido me tirou da zona de conforto literário, me tocando do início ao fim de uma forma muito intensa e especial. Sugiro àqueles que pretendem ler este livro, que o faça sem preconceitos e de coração aberto.

Resenha por Viviane Marinheiro.

Compar:

0 comentários