Traição é traição

12:49




"Traição é traição.
Romance é romance".
Os Hawaianos

Poucos são os casos, digo até que raríssimos se houver, de pessoas que passaram por esta vida e não traíram ou foram traídas. Inicio este texto com a seguinte afirmativa: nada justifica uma traição. Poderia até escrever em caixa alta de forma a reafirmar, a expressar veementemente a minha opinião. Acredito que quando duas pessoas resolvem se relacionar é porque têm em mente que dali em diante passarão a pertencer - relativamente - uma a outra. Não digo no sentido literal da palavra, pois todos somos livres e ninguém é objeto de ninguém. Contudo, observo as relações ao meu redor e analiso as que tive e chego a seguinte conclusão: algumas pessoas não nasceram para ser monogâmicas. 

Desse modo entramos em uma outra vertente: a traição é um desvio de conduta? A priori a minha resposta, como pessoa traída, é que sim. Uma pessoa que deseja levar a vida ao estilo Tribalista "eu sou de ninguém, eu sou te todo mundo", deve no mínimo jogar as cartas na mesa para o parceiro e revelar o desejo de viver poliamores¹ e esperar a anuência ou não do seu companheiro, deixar o parceiro livre para decidir se deseja ou não continuar ao lado dele. Entretanto, a vida não funciona dessa forma. Quem gostaria de dividir a pessoa que, supostamente, se ama? Há casos? Sim. Mas deixando de lado as exceções e voltando o olhar somente para a regra: traições são inadmissíveis. 

O relacionamento é uma espécie de contrato firmado entre duas partes onde elas têm direitos e deveres. Soa até meio jurídico tal afirmação, mas é dessa forma que devemos enxergar as relações humanas. As traições são motivadas por diversos fatores que somados tornam-se condições suficientes e necessárias para a quebra de contrato, no entanto preferimos - a maioria das vezes - empurrar o namoro com a barriga porque é muito mais cômodo conviver com uma mentira, do que largar tudo por alto e voltar à estaca zero. 
Agora a pergunta que não quer calar: a traição é perdoável? Essa é uma pergunta bem individual. Há aqueles que se permitem dar uma segunda chance e outros, como eu, que preferem seguir suas vidas sem olhar para trás. Dizer que o relacionamento não está bom, que o sexo já não é como antes, que a rotina está matando o namoro, que os amigos o pressionaram a mostrar a sua "macheza" diante de uma situação não é aceitável. Inúmeras vezes eu me mantive insatisfeita com uma relação, tantas vezes me deparei com pessoas incríveis, esbarrei com homens lindíssimos e interessantes, e nem por isso me dei o direito de enganar uma pessoa.
Eu jamais perdoaria uma traição pelo simples fato de saber que conscientemente a pessoa me traiu. A própria física diz que para toda ação existe uma reação. Sempre acreditei que acima da fidelidade deveríamos ser leais aos nossos cônjuges. Quem é leal sabe honrar a palavra, sabe ser honesto consigo mesmo, não dá margem ao erro, assume com dignidade a fidelidade aos compromissos que aceitou assumir. Ninguém prende ninguém. Relacionamentos assim como os contratos também podem ser quebrados, terminar a relação é a forma mais digna de se respeitar alguém com quem se manteve de início um laço de confiança. E para mim, respondendo ao questionamento, traições são imperdoáveis.
¹ Poliamor (do grego πολύ - poli, que significa muitos ou vários, e do Latim amor, significando amor) é a prática, o desejo, ou a aceitação de ter mais de um relacionamento íntimo simultaneamente com o conhecimento e consentimento de todos os envolvidos.

Você também pode gostar

10 comentários

  1. Traição é como um vaso que se quebrou,pode ser colado novamente,mais deixa marcas que nem o tempo pode apagar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, Pam. A gente pode até perdoar, mas esquecer nunca.

      Excluir
  2. Disse tudo e mais um pouco. Como alguém que já esteve em todas as posições de uma traição (traída, traidora, outra), digo com certeza: NÃO VALE A PENA. NÃO VALE O DESGASTE. NÃO VALE A FERIDA. NÃO VALE O PAPEL. Só vale como lição. ;)

    E o único poliamor que quero viver é com vc, MF e geral aqui em SP HAHAHA' <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viveremos, Gi. HAHAHAHA. Eita, São Paulo que vai ter amor!

      Excluir
  3. Eu estou que nem a Giselle já estive dos 3 lados, e digo não é bom estar em nenhum deles. Trai uma vez só por vingança e se tem uma coisa que me arrependo é disso. É preferível terminar do que continuar em uma relação que você não quer estar, porque eu penso que a partir do momento que tem uma 3° pessoa n história é porque algo não está agradando, então parte pra outra logo e libera o parceiro pra ser feliz. Amei o texto, beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É. Acho que o melhor é liberar mesmo o parceiro para procurar alguém que esteja disposto a embarcar de fato na relação ;)

      Excluir
  4. Eu tenho uma opinião bem ambígua sobre esse assunto... Não por experiência própria, mas pelo que convivo com amigos e conhecidos. Acho que, se tratando de um relacionamento sério, quando ocorre traição é porque algo não ia bem no relacionamento. Penso que a traição só acontece quando as energias do relacionamento estão ruins, então, ninguém trai porque quer ferir/trair. Os motivos que levam, são outros. E talvez a traição seja pior para quem traiu do que para aquele que foi traído.

    O que os olhos não veem o coração não sente, mas a consciência daquele que faz e sabe será pesada eternamente.


    Perfeito texto, Pâm.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só que conheço algumas pessoas que não têm consciência, hahaha. Meu ex-namorado é um deles e age até hoje como se nada tivesse acontecido. É mole :P

      Excluir

FANPAGE

@igpamelamarques


DIREITOS AUTORAIS

Todos os textos publicados aqui neste blog são de minha autoria ou de autores convidados. As fotos e gifs foram retiradas de sites como Pinterest e Tumblr, sendo assim, para de fim direitos autorais, declaro que as imagens NÃO pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente comigo por meio do e-mail: adm.pamelamarques@gmail.com. Eu darei os devidos os devidos créditos.