Não nos apaixonamos pela formação acadêmica do outro, pelos diplomas que a mãe dele ostenta na parede da sala, nós nos atraímos é pelo sorriso tímido que ele nos dá ou o olhar faceiro que tem o poder de despir o nosso interior. O amor vem nos ensinar - sem cartilha - que ele é apenas uma consequência da nossa vida, nossos destinos predestinam-se a encontrá-lo desde a nossa concepção. Nós nos apaixonamos pelos olhos do outro que é uma cacimba profunda e misteriosa. Um portal que nos transporta a lugares indefiníveis. 

Eu aprendi - e aprendo diariamente - os significados do amor e a forma que ele modifica as nossas vidas, através dos inúmeros exemplos que observo por aí, quando eu esbarro por aí com casais visivelmente apaixonados, aqueles que não precisam de status no facebook, porque eles vivem o amor em sua literalidade, de forma real e palpável. Eu aprendo cada dia sobre o amor quando ele me vem visitar, todas as manhãs antes de irmos trabalhar e algumas noites após um dia cansativo de trabalho. 

A gente descobre o amor é no dia-a-dia, na rotina cansada, nas horas em que desejamos fugir do mundo, se esconder e o lugar mais calmo que e seguro que encontramos ainda é os braços de quem amamos. Tenho descoberto o amor em suas inúmeras faces e todas elas tem uma característica tua. Tua pele, teu sorriso e teu olhar.