Sobre confissões

I was cryin' when I met you
Now I'm tryin to forget you ♪♫Aerosmith.



O amor é um doce sofrimento. E talvez seja por isso que nós nos apegamos a ele mesmo sabendo da sua letalidade. Fazemos de nossos corações um relicário onde depositamos o sagrado sentimento, sem ao menos importar se ele está ou não maculado. Houve um tempo em que quis preservar um amor dentro de mim, embora ele estivesse envolto de amargura. Era uma espécie de contentamento deixá-lo ali, porque os momentos bons sobressaiam aquilo que era bom. O maior erro que cometemos é tapar os nossos olhos à verdade. Deixar que o amor que sentimos pelo outro seja sempre superior aos defeitos.

Estive pensando esses dias o poder destrutivo que alguns têm sobre nós. Não há como negar que nossos caminhos são traçados em linha reta e, muitas vezes, quando desviamos em alguma curva a vida dá uma desandada. A gente dá amor a quem não merece e o nega a quem daria tudo por ele. Bem sei que muitas vezes por arrogância deixei pessoas maravilhosas passarem por mim vida. E também sei que dei valor aquilo que não tinha. É como pagar mil reais em uma bijuteria que vale menos de 15. Seus olhos brilham ao vê-la, mas não se enxerga como ela realmente é. O 'amor' é uma bijuteria que você paga como joia. 

Compar:

2 comentários

  1. Lindeza ler você, Pam.
    Mesmo quando é um texto assim, todo doído e cheio de peso, eu acho lindo.
    hahahaha


    =*

    ResponderExcluir
  2. Esse, de fato me ganhou!

    Principalmente porque esse é um assunto que eu acho delicioso de tratar, sentir, ler e foi um prazer ler você.

    Concordo plenamente.

    "uma bijuteria que você paga como joia"

    ResponderExcluir