Quando um amor se vai.

— Vai passar. É só questão de tempo — disse com o coração.
Todas as vezes que alguém decide partir de nossas vidas nos afundamos em um sentimento de derrota. Tentamos descobrir o porquê da decisão do outro e, a maioria das vezes, vestimos toda  a culpa e achamos que o problema está em nós. Nem sempre está. 

Quando meu antigo relacionamento terminou eu tentei de todas as formas compreender o motivo. E embora todos me dissessem que eu não tinha culpa de nada, eu insistia em procurar razões dentro de minhas atitudes e achava que até um 'bom dia' poderia ter sido a razão. Ao longo dos anos, depois de alguns relacionamentos, nós vamos compreendendo que cada um tem uma maneira de observar a vida. E ela nem sempre condiz com aquilo que buscamos.

Todo término é doloroso. Ninguém começa namorar com alguém pensando em terminar amanhã — conheci uma exceção, mas não vem ao caso —, mas a vida tende a nos pregar várias peças. Quando eu chorei o fim do meu namoro sentia uma dor inexplicável dentro de mim. Não como se o mundo fosse acabar, mas uma dor que me dilacerava por dentro. Talvez alguns digam que foi exagero, mas eu lembro como me sentia e o quanto me doía. Nós não estamos preparados para o fim. 

O sentimento de negação esteve comigo por um longo período. E muitos amigos me disseram: "vai passar. É só questão de tempo". Hoje eu compreendo o quão verdadeira é esta frase. Nenhuma dor é eterna e muitas vezes não compreendemos o presente que a vida nos dá naquele momento. Todo fim traz uma lição e nos deixa mais preparados e reflexivos em relação a vida.

Hoje eu percebo através dos meus dias passados e dos atuais o quanto fui abençoada com aquele fim. Ninguém merece viver um relacionamento de aparência, viver subjugado, aceitar traições e viver de mentiras. A nós é dado o livre arbítrio, embora não compreendamos o real significado disso. Deixar ir embora, muitas vezes, é necessário não somente para o nosso crescimento, mas para a nossa saúde física e mental.

Ouvi muito dos meus amigos — até hoje eu ouço —, que Deus me deu um livramento. Em termos eu realmente concordo. Entretanto, prefiro acreditar que a vida me preparou para outra pessoa, me fez mais madura para compreender e ser compreendida. Prefiro crer que o destino apenas me moldou para poder receber aquele que me fará feliz para sempre.


Compar:

2 comentários

  1. Eu li num livro esses dias, algo que dizia que as vezes as coisas fogem do nosso controle e não acontecem como a gente esperava porque coisas melhores virão. E se a coisa que atrapalha não sumir da vida, a coisa boa não vem. Acho que no relacionamento é a mesma coisa. Depois que a dor para de dilacerar, depois que o coração se aquieta a gente passa a enxergar que o mundo ficou mais leve e percebe que aquilo que desenhamos não passava disso: uma imaginação sem futuro.


    Beijocas doce.

    ResponderExcluir
  2. Caramba, me encontrei nesse texto, de verdade! :(
    www.blogdaisa.com

    ResponderExcluir