Passional.

O som ensurdecedor não a deixava escutar as súplicas dele do outro lado da porta. Ela havia trocado todas as trancas da porta e ainda assim, ele a esmurrava com toda a força que supunha ter. Ele gritava, xingava com todas as dores possíveis. Não era somente os seus punhos que sangravam, seu coração estava no mesmo estado. Passional. Não era de perder a cabeça, jamais havia acontecido isso, até mesmo porque ele sempre esteve no comando. Sentia que havia perdido todos os seus limites, mas ela tinha razão em querer distância.

Ela queria abrir a porta porque gostava dele. Mas não fez.

Parece incompleto? Mas não está.

Compar:

6 comentários

  1. O mais dificil a se fazer muitas vzs é ser simplesmente racional...

    http://codignolle.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. É muito mais difícil manter a porta fechada, do que fecha-la a primeira vez. Agir com a cabeça, muitas vezes, é a única maneira de se respeitar.

    Gostei muito do blog. Voltarei!

    ResponderExcluir
  3. A decisão em alimentar um sentimento, ou seguir o pensamento. Eu quero fechar uma porta, porque eu nunca me imaginei na situação que me encontro agora, é difícil. Se ela conseguiu, é porque foi corajosa.

    ResponderExcluir
  4. Sei bem como é querer ultrapassar os limites, mas pelo bom senso -ou coisa outra qualquer- não fazê-lo.

    :*

    ResponderExcluir
  5. A porta está fechada.Mas há uma janela (:

    ResponderExcluir
  6. Achei seu blog por acaso e... que surpresa boa!

    Adorei o texto. [Se a história não teve o 'felizes para sempre', melhor abrir mão de escrevê-lo].

    www.papoderomeuejulieta.blogspot.com

    www.relicariovazio.blogspot.com

    ResponderExcluir