Só me escute, por favor. Talvez algum dia eu consiga encostar a cabeça na janela do ônibus e não pensar em você. Acontece que esquecer você é difícil, porque o sentimento não é uma frase escrita em uma lousa que a qualquer momento você pode pegar um apagador ou algo escrito em um papel a lápis. É impossível esquecer o que te faz bem, é impossível principalmente porque eu te amo e mais ainda, porque eu não desejo te esquecer. É tão engraçado alimentar um amor sem esperanças, unilateral. Cansa.


Sabe, bonito, eu entrego as pontas. Desisto. Sabe que escrever isso é tão dolorido, tal qual uma bofetada, que há dias venho pensando em como eu me sinto, e como eu me sentiria ao tentar arrancar esse sentimento que está enraizado aqui dentro. Mas, sabe, é tão necessário. Porque o meu pensamento fica sintonizado em você 24 horas e tudo o que eu penso e faço você está, indiretamente ligado. Eu só penso, respiro e vivo você e se eu soubesse que haveria possibilidades eu continuaria. Mas hoje, sabe...eu vejo que não.

E para preservar o que eu tenho, ou imagino que tenho, eu paro aqui. Sem atravessar a ponte, ou melhor, sem chegar ao final dela. Porque há tempos eu fiquei parada lá, chegando, chegando. E escrever isso me dói tão profundamente que eu paro aqui.



É amigos. Só.